Internet

Projeto digital leva Evangelho do dia ao Facebook, Instagram e WhatsApp

Projeto digital leva Evangelho do dia ao Facebook, Instagram e WhatsApp

A leitura do Evangelho do dia no Facebook, no Instagram ou numa mensagem de WhatsApp é o propósito do EvangelhodoDia.pt, lançado em 1 de dezembro, primeiro domingo do Advento e início de novo Ano Litúrgico, por iniciativa de Emanuel Soeiro.

Este webdesigner, com formação em Teologia e que trabalha na área de comunicação de projetos ligados à Igreja Católica, disse à agência Lusa que a ideia surgiu da constatação da "necessidade de tornar o Evangelho presente no quotidiano das pessoas".

"No nosso quotidiano, sobretudo quando temos algum momento de pausa, algum momento de espera (...) ou porque estamos (...) em transportes, já é mais do que hábito pegar no telemóvel e ver as novidades das redes sociais. Então, porque é que o Evangelho não há de também aparecer no meio das 'stories', do 'feed' das redes sociais (...) e ter ali a possibilidade de, com um simples botão, partilhar com os amigos e fazer o tão famoso 'like'?", questionou o promotor do EvangelhodoDia.pt.

Emanuel Soeiro sublinhou, no entanto, que aqui não se trata do "'like' de gostar daquela palavra em concreto".

"É mais um 'like' que traduz como é que aquela palavra, de facto, toca na nossa vida", afirmou, acrescentando que "o objetivo nunca foi angariar 'likes' e partilhas. É fazer com que o Evangelho também se torne presente naquilo que é a simplicidade da vida".

Segundo Emanuel Soeiro, este é foi um "desafio pessoal" que entendeu fazer sentido lançar no início do Advento, que é o início do Ano Litúrgico, e, no espaço de uma semana já tem mais de duas centenas de seguidores, entre Facebook, Instagram e WhatsApp.

"É engraçado notar como todos os dias chegam cinco, dez pessoas", disse o webdesigner, acrescentando que os números de seguidores não são uma preocupação.

A meta, disse, "é conseguir ter todos os dias disponível o Evangelho do dia".

Questionado se, no futuro, os textos do Evangelho diário podiam ser acompanhados de comentário, Emanuel Soeiro afirmou que isso "não está previsto", pois existem outras páginas e aplicações que o fazem.

"Aqui, o objetivo é centrar-se no primordial, na palavra, sem outras imagens", afirmou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG