Estudo

Só 31% dos jovens leem política de privacidade das redes sociais

Só 31% dos jovens leem política de privacidade das redes sociais

Cerca de metade dos jovens portugueses conhece a política de privacidade ou os termos de serviço das redes sociais que utiliza, mas apenas 31% referem que já leram, conclui um estudo da empresa Netsonda, através de mil entrevistas.

A Netsonda, "empresa portuguesa especializada na recolha, processamento e análise de informação através de plataformas tecnológicas", procurou perceber qual o cenário do comportamento online dos jovens em Portugal. Os resultados do estudo mostram ainda que manter contacto com amigos (79%), ver publicações dos amigos (76%) e jogar (61%) são as tarefas mais realizadas nas redes sociais.

Ainda na questão da privacidade, o estudo revela que a maioria dos jovens já utilizou as definições de modo a gerir o contacto online com outras pessoas. Apesar disso, 35% dos inquiridos referem que seriam capazes de partilhar a password das redes sociais, e-mail ou smartphone com outra pessoa na Internet.

Enviar mensagem privada (41%) e pedir ajuda a pais, professores ou adultos de confiança (33%) são os comportamentos mais referidos caso alguém fosse desagradável com o próprio ou alguém conhecido. Chamar nomes é a atitude mais desagradável ou incorreta que os jovens dizem ter tido com alguém nas redes sociais.

Jovens do sexo feminino indicam acompanhar com mais frequência as novidades das marcas e influencers (60%), enquanto os jovens entre os 17 a 19 anos leem substancialmente mais notícias (57%). Quanto à publicação de fotografia do próprio jovem, dos 14 a 16 anos indicam com mais frequência que pedem ajuda aos pais (44%), enquanto dos 17 a 19 anos já reportam à rede social (58%)

Facebook lança programa educativo para jovens

Cerca de um mês após a apresentação dos resultados do estudo da Netsonda, o Facebook, em parceria com a ONG Cibervoluntarios Foundation, decidiu lançar o GeraZão, um programa educativo online direcionado para pais, educadores e jovens portugueses. A iniciativa conta com o apoio da Direção-Geral da Educação, o Seguranet, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia e o Centro Internet Segura.

O programa GeraZão está disponível em https://www.gerazao.org/ e foi concebido para para informar jovens, educadores e familiares, em casa ou na escola, com material educativo sobre temáticas que possam comprometer a segurança e privacidade, como por exemplo, o "bullying" e "sextorsion".

O objetivo é assegurar que existe suficiente informação em Portugal para que os jovens possam adquirir maior conhecimento das boas práticas de utilização na internet, desde o consumo de informação de forma crítica, até à produção e partilha de conteúdos de forma responsável.

"Estamos muito entusiasmados por implementar em Portugal este programa", afirma Natalia Basterrechea, responsável do Facebook Espanha e Portugal na área de políticas públicas. "É fundamental para o Facebook que os jovens, pais e educadores portugueses, consigam usar a internet de forma segura, conscientes dos riscos que existem e ao mesmo tempo, das possibilidades de segurança e privacidade que as redes sociais oferecem".

O conteúdo interativo inclui a Biblioteca de Literacia Digital do Facebook e os Recursos de formação do Instagram, que podem ser transferidos por qualquer educador, com padrões e guias sobre temas como o assédio, a identidade digital e a marca pessoal.