Tecnologia

Steve Jobs morreu de paragem respiratória

Steve Jobs morreu de paragem respiratória

A morte de Steve Jobs deveu-se a uma paragem respiratória resultante do cancro do pâncreas que se alastrou para outros órgãos, indica a certidão de óbito revelada, segunda-feira, nos Estados Unidos.

Steve Jobs morreu quarta-feira com 56 anos na sua casa em Palo Alto e nem a Apple nem a família revelaram a causa da morte, embora fosse público o precário estado de saúde do co-fundador da empresa americana, que lutou contra o cancro durante sete anos.

Segundo a agência de notícias Associated Press, não foi feita qualquer autópsia ao corpo de Steve Jobs, que foi identificado como um empresário "com alguma educação universitária", no certificado emitido pelo Serviço de Saúde Pública do condado de Santa Clara, onde residia.

Jobs estava rodeado pela mulher e pela família mais próxima quando morreu.

O funeral ocorreu na passada sexta-feira, num cemitério não divulgado, em Palo Alto.

Steve Jobs deixou a liderança da Apple a 23 de Agosto, cedendo o cargo de director-executivo para Tim Cook. Na hora da despedida, o ícone do design disse apenas que não se sentia capaz de cumprir os seus deveres para com a empresa.

As homenagens ao homem que revolucionou a Apple e a relação de muitas pessoas com a tecnologia correm o Mundo. Das lojas da marca, à casa do mentor do iPod ou do iPhone, milhares prestam tributo a Steve Jobs.

Não é claro, ainda, se a empresa vai homenagear publicamente Steve Jobs, mas parece certo que lhe será prestado um tributo, internamente, a 19 de Outubro, no anfiteatro da Apple na sede da companhia, em Cupertino, nos EUA.

Uma cerimónia íntima, só para funcionários da empresa da maçã, conforme foi antecipado por Tim Cook, em comunciado no dia da morte de Jobs. "Planeamos proximamente uma celebração da vida extraordinária de Steve, pelos empregados", disse.