Investigação

UE atribui 30 milhões de euros a dois projetos portugueses

UE atribui 30 milhões de euros a dois projetos portugueses

O programa Horizonte 2020 anunciou esta terça-feira a atribuição de 30 milhões de euros a dois projetos portugueses de investigação. No total, foram selecionados 14 projetos de sete países da União Europeia.

Portugal faz parte da lista de países que irá receber, este ano, financiamento do Horizonte 2020, um programa comunitário com um orçamento global superior a 77 mil milhões de euros no período de 2014-2020. Da lista de aprovações contam-se mais seis países, entre eles, está a Bulgária, Chipre, Chéquia, Estónia, Letónia e Polónia.

O orçamento dedicado à investigação portuguesa é de 30 milhões de euros a dois projetos, dividido em igual parte por cada um. Um deles é o MIA-Portugal, com sede na Universidade de Coimbra e feito em parceria com a Universidade de Newcastle, a Universidade de Groningen e o Instituto Pedro Nunes. O MIA-Portugal visa criar um centro de investigação para o estudo do envelhecimento no sul da Europa.

Já o outro projeto aprovado é o BIOPOLIS, do Instituto de Ciências e Tecnologias Agrárias e Agroalimentares da Universidade do Porto, apoiado pela Universidade de Montpellier e a Porto Business School Association. Tal como o MIA-Portugal, o objetivo passa por criar um centro de biologia ambiental, sem esquecer a agricultura e o desenvolvimento social e económico das regiões.

Desde 2014, Portugal teve 1551 aprovados pela União Europeia no âmbito do programa Horizonte 2020.