"DyNaVoiceR" é o nome da futura app que está em desenvolvimento no laboratório de investigação da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. O projeto comandado pelo docente Aníbal Ferreira promete ajudar milhões de pessoas que sofrem de disfonia.

Inovação

Futura app promete ajudar milhões de pessoas sem voz

Futura app promete ajudar milhões de pessoas sem voz

"A pessoa vai estar a falar com outra tendo os seus auriculares e o microfone associados. É como se estivesse a fazer uma conversação telefónica normal, o smartphone vai captar o som através do microfone, vai analisá-la e vai reparar a voz de forma a mudar a voz sussurrada para uma voz sonora normal", explica o professor e investigador ao JN. O objetivo é que a pessoa se sinta confortável a passar a mensagem linguística com capacidade de projeção da voz e com "todas características de um orador".

O investigador apresentou, esta terça-feira, ao Jornal de Notícias, Dia Mundial da Voz, o avanço tecnológico no qual está a trabalhar, com um apoio de cerca de 240 mil euros da Fundação da Ciência e da Tecnologia, juntamente com o CINTESIS - Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e a Universidade de Aveiro. Na prática, o projeto pretende ser a solução para todos aqueles doentes que sofrem de um tipo de voz disfónica particular: a afonia, que pode resultar de doenças oncológicas, de transtornos neurológicos ou distúrbios psicológicos.

"O dispositivo clássico nos últimos 20 anos, utilizado pelas pessoas que sofreram essa operação drástica, que é a laringectomia, em que a laringe é removida e não conseguem reproduzir a voz normal, não teve evolução tecnológica", lamenta Aníbal Rodrigues, afiançando que este novo projeto em forma de app será a esperança para quem não consegue comunicar. A app "DyNaVoiceR" poderá ver a luz do dia daqui a menos de três anos, altura em que se estima esteja concluída a investigação.