Privacidade

WhatsApp perde milhões de utilizadores após mudança de regras

WhatsApp perde milhões de utilizadores após mudança de regras

Depois do anúncio de alteração dos termos de utilização, milhões de utilizadores abandonaram Whatsapp, que adiou a entrada em vigor

A 4 de janeiro, a WhatsApp anunciou que iria compartilhar alguns metadados para fins comerciais com a empresa que a tutela, a Facebook, alterando a política de privacidade. Na altura, a empresa realçou que as mensagens escritas e os contactos guardados na aplicação vão permanecer criptografadas, não estando acessíveis à Facebook, , mas admitiu que, a partir de 8 de fevereiro, haveria metadados que vão estar ao dispor da Facebook, com vista à melhoria dos serviços de comércio eletrónico e de publicidade.

A atualização pretendia acrescentar um conjunto de novas funcionalidades no envio de mensagens, bem como "fazer esclarecimentos e proporcionar uma maior transparência" nas políticas pré-estabelecidas da empresa, explica Niamh Sweeney, diretor de políticas públicas do WhatsApp na Europa, Médio Oriente e África, citado pelo "The Guardian". "Queremos deixar claro que a atualização da política não afeta de forma alguma a privacidade das suas mensagens com amigos ou familiares. Não há alterações à nossa partilha de dados com o Facebook em qualquer parte do mundo", assegura Sweeney.

Mas, para milhões de utilizadores, de nada valeram as garantias dadas pela empresa e a reação à alteração foi forte, tornando-se viral em todo Mundo. Circularam, principalmente dentro da própria rede, uma série de mensagens que garantiam que a nova política de privacidade permitia a leitura das mensagens dos utilizadores e muitos ficaram preocupados. Resultado: um "êxodo" para a concorrência, como o apelida o diário britânico, que estará relacionado com o anúncio e que obrigou a empresa a adiar a entrada em vigor dos novos termos para 15 de maio.

Signal e Telegram aproveitam

As plataformas Signal e Telegram, que fornecem um serviço semelhante são as que têm aproveitado com a desconfiança sentida em relação ao Whatsapp.

Estas aplicações de comunicação asseguram a privacidade dos seus utilizadores e têm registado registar uma maior procura. Só o Signal ganhou, nas três primeiras semanas de janeiro, 7,5 milhões de utilizadores. E o Telegram conquistou 25 milhões, de acordo com dados divulgados pelo parlamento do Reino Unido, ultrapassando os 500 milhões de utilizadores ativos em todo o Mundo.

PUB

Ainda assim, é de recordar que, em relação ao Telegram, o Whatsapp é mais centrado na privacidade ponto a ponto do que o Telegram. No serviço propriedade do Facebook, todas as comunicações são encriptadas. No Telegram, essa característica tem de ser ativada pelos utilizadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG