Internet

YouTube proíbe comentários em vídeos de crianças

YouTube proíbe comentários em vídeos de crianças

A plataforma de partilha de vídeos YouTube implementou novas medidas de proteção de menores, entre as quais a desativação de comentários em vídeos com crianças e um novo algoritmo para classificar comentários em vídeos gerais.

A medida, anunciada em comunicado pelo YouTube, dirige-se apenas a vídeos com a presença de menores, estando excluídos do algoritmo utilizado vídeos de adolescentes, a menos que o conteúdo atraia a atenção de pedófilos. Outra exceção incide sobre "um pequeno número de criadores que poderão manter os seus comentários ativados neste tipo de vídeos", mas que terão de fazer uma moderação ativa dos mesmos.

"Ao longo da última semana, desativámos comentários de dezenas de milhões de vídeos que poderiam estar sujeitos a comportamentos predatórios. Estes esforços têm foco em vídeos com menores e iremos continuar a identificar vídeos de risco ao longo dos próximos meses", diz a empresa.

A empresa está também a implementar um novo classificador de comentários, que vai identificar e apagar comentários predatórios, mas sem afetar a a rentabilidade financeira. De acordo com o Youtube, este algoritmo é mais abrangente e apaga duas vezes mais comentários individuais que o anterior.

O YouTube reconhece que os comentários são uma forma de os utilizadores se relacionarem uns com os outros, o que faz aumentar as audiências, mas salienta que estão em causa medidas de promoção da segurança dos mais jovens.

Estas medidas são tomadas na sequência de várias denuncias a darem conta de uma "rede de pedofilia" que estava a atuar na plataforma, com recurso a vídeos aparentemente inocentes que envolviam crianças. Nos comentários desses vídeos, em situações completamente banais, surgiam comentários ligados ao uso da expressão "rede" utilizado de forma abusiva.

Várias empresas retiraram anúncios do YouTube, incluindo a produtora de videojogos que criou o Fortnite, muito popular entre jovens e crianças, preocupadas com a possibilidade de serem associados a comentários publicados por pedófilos.

O YouTube vai apagar contas e canais que, de alguma forma, agreguem conteúdo que coloque em causa a segurança de menores. A plataforma impõe restrições de idade, mas estas nem sempre são cumpridas. Para navegar no YouTube, é preciso ter 18 anos ou 13, se houver autorização de um pai ou encarregado de educação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG