Braga

17 anos de prisão para jovem que matou pai para acabar com "inferno" em casa

17 anos de prisão para jovem que matou pai para acabar com "inferno" em casa

O jovem de 17 anos que confessou o homicídio do pai à machada, para acabar com o "inferno" criado em casa pelo progenitor, foi condenado, esta terça-feira, a 17 anos de prisão por homicídio.

No início do julgamento, no Tribunal de Braga, num depoimento confuso e marcado por crises de choro, o arguido disse que o pai andava constantemente embriagado, discutia recorrentemente com a mãe sobretudo por questões de dinheiro e que a insultava "quase todos os dias".

Além disso, admitiu também que ficava "intimidado" com os "toques" que o pai "de vez em quando" lhe dava nas costas, nos ombros e nas virilhas, atribuindo-lhes um cariz sexual.

O homicídio ocorreu em 26 de julho de 2019, um dia depois de a vítima ter regressado de França, onde estivera emigrado desde janeiro. "Foram os melhores momentos das nossas vidas", disse o arguido no início do mês, referindo-se ao período em que o pai não esteve em casa.

Mal chegou, as discussões com a mãe voltaram, tendo a vítima ainda deixado claro que a partir dali "ainda ia ser pior".

No dia dos factos, ao almoço, o pai voltou a insultar a mãe do arguido. A mãe foi entretanto trabalhar e o pai foi "dormitar", para o quarto.

O arguido foi buscar um machado e desferiu-lhe um número não concretamente apurado de golpes, que o atingiram, além do mais, na cabeça, face, peito, membros e órgãos genitais, acabando por lhe provocar a morte.

Outras Notícias