Suspeitas

Abramovich lidera organismo judaico que atestou das suas origens sefarditas

Abramovich lidera organismo judaico que atestou das suas origens sefarditas

O oligarca Roman Abramovich lidera o conselho de administração da Federação das Comunidades Judaicas da Rússia (FCJR), presidida pelo rabino Alexander Boroda, que atestou a sua ascendência sefardita. Foi através desse reconhecimento que a Comunidade Israelita do Porto (CIP) certificou as origens portuguesas do empresário e que lhe permitiram obter nacionalidade portuguesa, num processo que está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

O inquérito levou à detenção de Daniel Litvak, líder religioso da CIP, e à constituição como arguido do advogado Francisco Almeida Garrett, também dirigente do organismo que certificou a origem sefardita do empresário russo, através de um atestado emitido pelo rabino dirigente da FCJR, Alexander Boroda. Nos últimos anos, Abramovich foi um generoso mecenas da FCJR com doações de dezenas de milhões de euros e, de acordo com uma notícia do Público, Boroda atestou as origens sefarditas do empresário apenas com base em testemunhos do próprio Roman Abramovich.

"Esta certificação é baseada no meu conhecimento de testemunhos de Roman Abramovich e de uma entrevista pessoal que realizei", explicou o líder da FCJR numa comunicação do certificado emitido pela organização russa. "Confirmo que Roman Abramovich preserva os rituais sefarditas, tradições e costumes alimentares", atestando ainda que o empresário é "descendente de judeus sefarditas e de portugueses".

Terá sido com base nesta comunicação recebida pela CIP, que a comunidade portuense decidiu atestar das origens portuguesas do empresário, dando assim andamento ao processo de obtenção da nacionalidade a Abramovich.

Questionada esta quinta-feira pelo JN, a CIP adianta que " O caso foi certificado com base em critérios legais nomeadamente a memória familiar (atestada pelo rabinato de origem reconhecido pelo grão rabinato de Israel), apelidos, apoio material de décadas à Chabad de origem portuguesa e desnecessidade material, dado que o visado tem direito à nacionalidade lituana".

Ainda segundo uma fonte da CIP "O Sr. Roman Abramovich é um judeu de origem sefardita (o que não é o mesmo que um judeu sefardita) e tem direito à nacionalidade portuguesa nos termos da legislação de 2013/2015. Igualmente tem direito à nacionalidade lituana, israelita e, como a sua mãe, ucraniana".

A CIP garante ainda que Daniel Litvak nunca teve qualquer contacto com o Abramovich, sendo que a Comunidade Judaica do Porto recebeu unicamente "o emolumento de 250 euros".

PUB

"O Estado não teria precisado das comunidades judaicas se não fosse o conhecimento privilegiado que estas têm do mundo judaico por intermédio dos seus rabinatos", garante ainda a CIP.

De acordo com o "Expresso", a CIP certificou mais de 40 mil sefarditas entre 3 de fevereiro de 2015 e 30 de novembro de 2020, dando uma média de 28 certificações por dia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG