O Jogo ao Vivo

BPP

Advogada de Rendeiro já informou oficialmente juíza da fuga

Advogada de Rendeiro já informou oficialmente juíza da fuga

A advogada de João Rendeiro, o ex-banqueiro do BPP que estará escondido no Belize para escapar à cadeia em Portugal, já informou a juíza do processo em que foi condenado a dez anos de prisão, a intenção de não regressar a território nacional.

Foi no dia de ontem, quarta-feira, já depois de Rendeiro ter publicado no seu blogue um comunicado onde afirmara que não voltaria a Portugal, que a advogada do antigo administrador do BPP deu, oficialmente, conta da fuga à Justiça.

A informação é revelada esta quinta-feira pelo Conselho Superior da Magistratura (CSM) num comunicado enviado às redações, onde também é explicado que "em face de tal informação, foi proferido despacho que determinou a sua sujeição a prisão preventiva e a imediata emissão de mandados de detenção europeu e internacional, solicitando a colaboração da Interpol e da Europol na localização e captura do arguido, para além de ter determinado a emissão de mandados de detenção a cumprir pelos órgãos de polícia criminal portugueses, tal como a inserção dos seus elementos identificativos no sistema SIRENE e a comunicação ao SEF, ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e a todas as entidades de controlo de fronteiras, com a expressa indicação da pendência de tais mandados".

O CSM também afirma que, de acordo com a juíza deste processo, "no decurso dos autos não foi trazida, até ao referido dia 19.07.2021, qualquer informação da qual pudesse antever-se nem um concreto perigo de fuga do arguido (que esteve presente em algumas sessões da audiência de julgamento), nem a concretização da sua fuga, agora anunciada".

Ou seja, para a Justiça, Rendeiro aparecia sempre como cumpridor, apesar de ter, entre 15 de julho e 21 de agosto, viajado para a Costa Rica, informando os tribunais. Também deu conta à Justiça que entre 13 e 30 de setembro, iria estar no Reino Unido.

Por, oficialmente, regressar a Portugal apenas esta quinta-feira, a juíza só o convocou para sexta-feira, para alteração das medidas de coação. Aí corria o risco de ficar em prisão preventiva e decidiu fugir..

PUB

O pedido de captura, agora passado, reporta-se ao processo em que João Rendeiro foi condenado a dez anos de prisão, em maio deste ano, por crimes de fraude fiscal qualificada, abuso de confiança e branqueamento de capitais. João Rendeiro também foi alvo de condenação a penas de prisão efetiva em outros dois processos criminais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG