Football Leaks

Advogada: "Isto não está a acontecer. Parece um filme"

Advogada: "Isto não está a acontecer. Parece um filme"

Inês Almeida Costa, uma das assistentes do processo Football Leaks e uma das advogadas que viram documentos seus divulgados publicamente, disse esta quinta-feira ao tribunal que a situação por que está a passar é "uma tortura".

A advogada referiu também que "a angústia continua", uma vez que não sabe quem tem acesso à informação pirateada. A questão está "adormecida" mas "latente", afirmou.

A advogada afirmou ter visto "um espelho de duas pastas" do seu computador profissional quando os informáticos da PLMJ, sociedade em que trabalhava à data dos factos, em dezembro de 2018, abriram o conteúdo do blog Mercado de Benfica em ambiente seguro. Inês Costa Almeida confidenciou que, na altura, a situação lhe pareceu "um filme". "Isto não está a acontecer", era o seu pensamento maia recorrente.

Na visão da advogada, "não houve critério" na divulgação da informação. "Achei que foi para mostrar poder e foi isso que me revoltou ainda mais", revelou.

Inês Almeida Costa afirmou ter experienciado "uma sensação de devassa" como nunca sentiu na vida. A advogada é a quarta assistente a ser ouvida no processo. Da parte da tarde desta quinta-feira será ouvido José Amador, inspetor da Polícia Judiciária e a primeira testemunha a prestar declarações.

Outras Notícias