Espanha

MP pede prisão para dois dos quatro portugueses suspeitos de violação

MP pede prisão para dois dos quatro portugueses suspeitos de violação

O advogado dos quatro portugueses detidos por suspeita de violação em Gijón, assegura que o sexo foi consentido. Dois dos portugueses deverão sair em liberdade.

German-Rámon Mendez, advogado oficioso, revelou que o Ministério Público espanhol irá pedir a prisão preventiva de apenas dois dos quatro portugueses detidos no sábado de manhã por suspeita de violação de duas raparigas espanholas. Os restantes dois deverão sair em liberdade mas ficam proibidos de comunicar com as jovens espanholas.

Segundo o advogado, não existem lesões nas raparigas que comprovem a existência de violação. E por isso, avança German-Rámon, as raparigas não estão a dizer a verdade e o sexo foi consentido.

German-Rámon Mendez, advogado oficioso, criticou a condenação pública dos quatro portugueses e o linchamento de que estão a ser alvo sem que haja qualquer prova. O jurista exigiu neutralidade aos responsáveis.

Recorde-se que várias personalidades públicas e governantes do país vizinho já vieram condenar publicamente o ocorrido. Agora, o advogado dos portugueses anuncia, em tom irónico, que irá convocar essas pessoas uma vez que parece que sabem o que ocorreu, "antes mesmo dos detidos prestarem declarações", chegando a compará-los a "terroristas".

O advogado criticou a lei espanhola por a considerar demasiado restritiva, explicando que quase seria necessário fazer-se acompanhar de um notário para que se registe o consentimento.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG