Braga

Advogado suspeito em rapto é "vice" do partido de Marinho e Pinto

Advogado suspeito em rapto é "vice" do partido de Marinho e Pinto

O advogado Pedro Grancho Bourbón é vice-presidente e número dois do PDR, liderado por Marinho e Pinto. É um dos sete detidos por suspeita de envolvimento no rapto de João Paulo Fernandes.

A operação, denominada "Fireball", decorreu nas zonas norte e centro do país e consistiu na realização de diversas buscas domiciliárias, em escritório de advogados e estabelecimentos e no cumprimento de sete mandados de detenção.

A Polícia Judiciária admitiu, terça-feira, a morte do empresário João Paulo Fernandes, que foi sequestrado no dia 11 de março, em Braga, e terá sido morto na mesma altura.

Entre os sete detidos estão o advogado Pedro Grancho Bourbon e dois irmãos, incluindo Manuel Grancho Bourbon, que é igualmente advogado.

Pedro Grancho Bourbón foi cabeça de lista em Braga nas últimas "legislativas". Ainda em abril, Bourbón foi o cicerone de Marinho e Pinto na Agro, a feira agrícola local.

Num dos dois mandatos de Marinho e Pinto como bastonário, Pedro Grancho Bourbón também integrou a Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados.

Pedro Bourbón, que sexta-feira completou 41 anos, é natural de Coimbra e reside em Braga, cidade onde trabalha no escritório herdado do pai.

PUB

O irmão mais novo, também advogado, Manuel Bourbón, tem responsabilidades diretivas no partido, tal como o do meio, Adolfo - candidato pelo partido à Assembleia Municipal do Porto - que trabalhava diretamente com Emanuel Marques Paulino, conhecido por "Bruxo da Areosa", que também é dirigente do PDR, mas em Gondomar. Fora do leque de suspeitos, há ainda um advogado próximo deles, que é um dos responsáveis partidários em Vila Nova de Gaia, enquanto uma notária de Braga, referenciada várias vezes pela vítima como tendo, alegadamente, participado em esquemas fraudulentos contra a sua família, não estando relacionada com os crimes de sequestro e homicídio, apoiou sempre o núcleo local de Pedro Grancho Bourbón.

António Marinho e Pinto era um grande amigo do jurista Pedro Bourbón, seu companheiro em Coimbra e pai do advogado com o mesmo nome agora detido.

Em 2015, Marinho postou a sua grande admiração por Pedro Grancho Bourbón. "O Pedro, desculpem o tom informal, mas é assim há quase três décadas, é um filho respeitador, dedicado, extremoso, que com a morte repentina do pai, apesar da sua juventude, assumiu o encargo de participar na educação e formação dos irmãos".

E acrescentou: "É um excelente chefe de família, sempre muito presente, cumpridor e companheiro". E - frisou - também é "um ótimo profissional, honesto, trabalhador, inteligente, competente e lutador".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG