Lisboa

PSP mata mulher que seguia em carro que tentou atropelar agentes

PSP mata mulher que seguia em carro que tentou atropelar agentes

Uma mulher de nacionalidade brasileira morreu, esta quarta-feira de madrugada, atingida por um tiro disparado pela polícia, depois de a viatura em que seguia ter tentado atropelar os agentes.

O caso começou, pelas 3.05 horas, no Pragal, Almada, depois de um furto por explosão de uma caixa multibanco, que deu origem à difusão via rádio das informações disponíveis sobre o crime, que terão chegado às áreas de Setúbal e Lisboa.

"Seguidamente, na 2.ª circular, em Lisboa, no sentido Benfica-Sacavém, foi detetada uma viatura suspeita com as características correspondentes à viatura usada no furto. Os suspeitos que se faziam transportar na viatura, ao detetarem a presença policial, encetaram, de imediato, fuga na direção da Rotunda do Relógio, circulando em diversas vias a alta velocidade e em contramão, colocando em perigo todas as pessoas que ali se encontravam", afirma o comunicado.

Perto do aeroporto Humberto Delgado, houve uma troca de tiros entre os elementos da PSP e os suspeitos em fuga. Já pelas 3.35 horas, na zona da Encarnação, em Loures, foi detetado um carro que "aparentava corresponder às características da viatura suspeita" e cujo condutor desobedeceu à ordem de paragem.

O condutor do carro "tentou atropelar os polícias, que tiveram de afastar-se rapidamente para não serem atingidos e, em ato contínuo, os polícias foram obrigados a recorrer a armas de fogo", tendo ferido mortalmente uma mulher que seguia na viatura.

Segundo o que o JN conseguiu apurar, a vítima é uma mulher de nacionalidade brasileira que se dirigia para o aeroporto.

PUB

"O homem que conduzia a viatura foi detido por condução sem habilitação legal, por desobediência ao sinal de paragem e por condução perigosa", revela o comunicado, indicando que a Polícia Judiciária foi chamada de imediato ao local.

IGAI abre inquérito

A PSP instaurou um processo de averiguações para esclarecer os contornos do sucedido e foi dado conhecimento à Inspeção Geral da Administração Interna (IGAI).

"A Inspeção Geral da Administração Interna determinou a abertura de um inquérito para apuramento dos factos relacionados com a ocorrência que teve lugar na madrugada de hoje, da qual resultou a morte de uma cidadã na sequência de uma intervenção policial", anunciou o Ministério da Administração Interna em comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG