Investigação

Agentes de futebol no avião da droga a "convite" de João Loureiro

Agentes de futebol no avião da droga a "convite" de João Loureiro

Ex-presidente do Boavista solicitou à companhia de aviação lugares para empresário e intermediário na venda de Veríssimo.

Foi o antigo presidente do Boavista, João Loureiro, quem ofereceu a possibilidade de viajar, do Brasil para Portugal, a quatro dos indivíduos - dois deles de forma direta - cujo nome constava no manifesto do voo que deveria ter levantado a 7 de fevereiro, mas que acabou por ser cancelado, devido à descoberta de 500 quilos de cocaína no aparelho.

Segundo apurou o JN, os convidados de João Loureiro foram o empresário de futebol Bruno Carvalho Santos, que estendeu a oferta ao agente Hugo Cajuda, bem como o intermediário Bruno Macedo, que estava com o futebolista do Benfica, Lucas Veríssimo, em trânsito para Portugal. Ao contrário do que aconteceu ao antigo líder axadrezado, nenhum dos potenciais passageiros foi ouvido pelas autoridades brasileiras.

Contactado pelo JN, João Loureiro confirmou ter feito o convite, mas sem avançar nomes. "Apenas posso garantir que, dos quatro passageiros previstos ligados ao futebol, em apenas dois deles fui eu quem solicitou à companhia de aviação [Omni] a possibilidade de viajarem no voo em causa. E fi-lo apenas porque tal me foi solicitado, dado não haver voos diretos para Portugal. É isso, aliás, que consta exatamente do meu auto de declarações".

Conforme é de conhecimento público, os empresários e parceiros de negócios, Bruno Carvalho Santos e Hugo Cajuda, deslocaram-se ao Brasil para acompanharem o treinador Abel Ferreira na final da Taça dos Libertadores, conquistada pelo Palmeiras. O filho do treinador Manuel Cajuda, sabe o JN, ainda equacionou acompanhar a equipa até ao Catar, onde se disputou o Mundial de Clubes, mas tal não foi possível. Devido à proximidade da abertura do mercado de transferências no Brasil, a 3 de março, e tendo vários negócios em vista, os dois entenderam permanecer no Brasil, em trabalho.

A final da Libertadores marcou também a despedida de Lucas Veríssimo do outro finalista, o Santos, antes de viajar para Portugal para representar o Benfica, percurso que foi feito via Paris e no qual foi acompanhado pelo intermediário Bruno Macedo.

PUB

"Essa lista de passageiros, onde estou incluído, desvia as atenções de quem organizou toda a situação. De uma coisa estou certo, nada tenho a ver com o assunto", acrescenta João Loureiro, acrescentando que não conhece o outro português que estava no manifesto de voo, Paulo Saturnino Cunha.

VIAGEM

Aluguer custa cerca de 150 mil euros

O aluguer de um avião como este que iria transportar várias pessoas, do Brasil para Portugal, custa cerca de 150 mil euros. Segundo apurou o JN junto de diversos empresários de futebol, apesar de andarem muitas vezes em viagens de trabalho pelo Mundo, não costumam partilhar aviões privados. Já os jogadores de clubes portugueses, internacionais por países diferentes do continente americano, muitas vezes partilham aviões privados na hora de regressar aos clubes, depois de terem representado as respetivas seleções.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG