Julgamento

Agressores de casal homossexual dizem-se envergonhados e arrependidos

Agressores de casal homossexual dizem-se envergonhados e arrependidos

Duas pessoas acusadas de agredir um casal homossexual no verão de 2018, em Coimbra, disseram em tribunal estarem arrependidos e envergonhados de o terem feito.

"Não estou habituado a ver dois homens a beijar-se. Tenho vergonha do que fiz", confessou ao Tribunal de Coimbra Robim Monteiro, de 66 anos, um dos arguidos, ouvido em tribunal, esta quinta-feira de manhã.

A mulher de Robim, Andreia Maia, de 42 anos, também assumiu as agressões. "Foi um impulso e não o devia ter feito. Essas coisas antes não eram bem vistas pela nossa sociedade, mas estamos num país livre e eles fazem o que entenderem", considerou, ressalvando que o que a impressionou naquele momento foi o casal não ter tido pudores quando estavam crianças a passar.

Os acontecimentos remontam a 14 de julho de 2018, quando Duarte Duarte e Daniel Ribeiro foram agredidos e insultados por Robim, Andreia e o filho destes, Robim Liliano (ausente a trabalhar em França), depois de se terem beijado à porta do Alma Shopping, em Coimbra.

Presente em tribunal, Duarte Duarte afirmou que ainda tem sequelas das agressões com marcas na cabeça. O seu namorado, Daniel Ribeiro, contou que teve pesadelos nas semanas a seguir e que ambos mudaram a maneira de estar em locais públicos, evitando carícias.

Outras Notícias