Justiça

Agricultor suspeito de atear fogo em Mirandela fica com termo de identidade e residência

Agricultor suspeito de atear fogo em Mirandela fica com termo de identidade e residência

O agricultor de 51 anos detido esta quinta-feira pela PSP por alegadamente ter originado o incêndio que lavrou às portas de Mirandela saiu em liberdade com o Termo de Identidade e Residência.

Foi esta a medida de coação aplicada pelo tribunal de Mirandela, depois de ter sido ouvido, esta sexta-feira, no tribunal da cidade nordestina.

Numa breve nota, o comando distrital de Bragança da PSP justifica a detenção do homem, residente no concelho de Mirandela, "pela suspeita de ter estado envolvido na origem de um incêndio, quando executava trabalhos agrícolas num terreno e que rapidamente se alastrou tomando grandes proporções".

A PSP lembra que, "em virtude de estarmos em estado de alerta máximo devido às temperaturas elevadas e velocidade do vento, estes trabalhos estão proibidos".

O comando distrital da PSP de Bragança diz ainda que também foi apreendido um escarificador e um extintor.

O homem ainda terá tentado apagar o fogo com o extintor que trazia no trator, mas as chamas propagaram-se e chegaram a colocar em perigo várias habitações, mobilizando mais de 80 operacionais, com a ajuda de duas dezenas de viaturas e quatro meios aéreos, desde o final da manhã de quinta-feira até por volta das 20 horas.

Durante a tarde, o fumo do incêndio obrigou mesmo ao corte da A4, que liga Mirandela a Valpaços.

Este incêndio de Mirandela é o terceiro deste verão no distrito de Bragança com a origem atribuída a negligência relacionada com trabalhos agrícolas ou outros, segundo as autoridades.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG