Crime

Alegado homicida de Estarreja fica em prisão preventiva 

Alegado homicida de Estarreja fica em prisão preventiva 

É suspeito de ter matado portador de deficiência e atirado o corpo a um poço.

O suspeito de ter matado um homem portador de uma deficiência mental e atirado o corpo a um poço em Pardilhó, Estarreja, vai ficar em prisão preventiva. Carlos Fonseca, 35 anos, trabalhador da construção civil, foi ouvido esta segunda-feira à tarde por um juiz de Instrução Criminal no Departamento de Investigação e Ação Penal em Aveiro, que lhe decretou a medida de coação mais gravosa.

O alegado homicida terá confessado o crime a um amigo, que o denunciou. Depois de confrontado pela polícia, assumiu o crime e disse onde escondera o cadáver, mas não explicou as motivações. Hoje, apesar de ter sido interrogado durante horas, continuou sem dizer porquê, apurou o JN.

O corpo da vítima, Augusto Ferreira, de 26 anos, portador de uma ligeira anomalia psíquica, foi retirado, na madrugada de domingo, de um poço, num terreno agrícola em Pardilhó, Estarreja. A vítima, que morava com o pai e irmãs em Válega, Ovar, estava dada como desaparecida desde o passado dia 6.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG