Premium

Alemão descartado pela investigação já depois de condenado por abusos sexuais

Alemão descartado pela investigação já depois de condenado por abusos sexuais

Chamadas telefónicas perto do resort na praia da Luz levantaram suspeitas. Cadastro por crimes sexuais contra crianças ficou por escrutinar.

O novo suspeito do caso Madeleine já tinha sido referenciado e escrutinado pela Polícia Judiciária (PJ). O número de telemóvel que utilizou perto do Ocean Club, na praia da Luz, em Lagos, a 3 de maio de 2007, próximo da hora a que a menina desapareceu, levou os investigadores até Christian Brueckner. Mas o alemão foi descartado por não ter interesse para a investigação.

Nessa altura, Christian tinha uma longa ficha criminal que não terá sido escrutinada pela Polícia Judiciária. Em Portugal, estava referenciado por furtos e, na Alemanha, já tinha sido condenado por vários crimes, incluindo abuso sexual de menores. Crimes que começou a cometer quando tinha apenas 17 anos. Tem agora 43 e, pelo menos, 17 crimes no cadastro. A polícia inglesa também não o encarou como possível suspeito, uma vez que recebeu o processo e não requereu à PJ quaisquer diligências que o envolvessem.