PSP

Apoiantes de juiz negacionista sem máscaras e distanciamento na Feira

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

 foto Salomão Rodrigues/JN

A PSP foi obrigada a intervir para dispersar elementos de uma manifestação de apoio ao juiz anti-confinamento que decorreu, na tarde deste sábado, junto ao Castelo da Feira. Cerca de dez manifestantes incumpridores das regras sanitárias foram identificados pelas autoridades.

Pouco mais de cem apoiantes do juiz Rui Fonseca e Castro, fundador do grupo "Juristas Pela Verdade" e da associação "Habeas Corpus", reuniram-se junto ao jardim do Castelo da Feira. O juiz foi recebido efusivamente pelos participantes que, ao longo de vários minutos, concentraram-se num só grupo, sem respeito pelo necessário distanciamento ou uso de máscara. Seguiram-se abraços e beijos na receção ao juiz, que esteve toda a tarde reunido com os apoiantes da sua causa.

Perante o incumprimento, dois elementos da PSP dirigiram-se até junto do magistrado, a quém transmitiram a necessidade de serem cumpridas as regras sanitárias em vigor, lembrando que quem não acatasse a ordem iria ser identificado. O juiz transmitiu aos presentes as indicações que tinha recebido, mas alguns dos elementos não acataram as indicações da PSP.

Já com o corpo de intervenção presente, elementos da esquadra da Feira identificaram os incumpridores. Apesar de alguns protestos esporádicos, o processo de identificação decorreu sem grandes problemas. "Quem não cumpriu as nossas indicações foi identificado" garantiu, ao JN, a superintendente Virgínia Cruz, do comando de Aveiro, confirmando que o juiz foi identificado como um dos organizadores do evento.

"Quando o Estado de Emergência acabar vamos ter uma ordem ex-constitucional, uma ditadura", atirou um dos presentes.

Máscara obrigatória

De acordo com a lei, o uso de máscara é obrigatório para maiores de 10 anos, "sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável". Uso dispensado para pessoas que "integrem o mesmo agregado familiar, quando não se encontram na proximidade de terceiros".

Manifestações anunciadas nas redes sociais

O grupo de apoiantes do juiz Rui Fonseca e Castro tem vindo a usar as redes sociais para divulgar os locais de concentração. A página do Facebook da Associação Habeas Corpus tem sido o local de divulgação oficial destas iniciativas de contestação às regras impostas em consequência da pandemia.

Relacionadas