Reação

Eduardo Cabrita não deixará saudade aos polícias

Roberto Bessa Moreira

O ex-ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

Foto Lusa

Sindicato dos Profissionais de Polícia lembra que já tinha pedido a demissão de um ministro que deixou arrastar problemas da PSP.

A saída de Eduardo Cabrita do Ministério da Administração Interna, anunciada na última sexta-feira após o Ministério Público ter acusado o motorista do ministro de homicídio por negligência, não desagrada à maioria dos polícias. Bem pelo contrário.

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP) lembra, inclusive, que "há muito tempo que tinha pedido a demissão do ministro da Administração Interna, por este nada resolver no que diz respeito à PSP". "A política desenvolvida foi deixando arrastar os problemas que afetam os polícias, deixando-os sem soluções", justifica. A estrutura sindical liderada por Mário Andrade apresenta vários exemplos do que considera uma má prestação de Eduardo Cabrita no Governo, garantindo que este nada fez "para que as agressões aos polícias cessassem". "Continuam a aumentar, dia após dia e sem fim à vista", refere.

Também os suicídios cometidos pelo pessoal policial "continuam", diz o SPP, que culpa, ainda, o ex-governante de não conseguir "cativar jovens para ingressar na instituição", levando a que as "vagas dos concursos nunca sejam preenchidas".

"Conseguiu impor um valor ridículo como compensação do risco e iniciou muitas negociações, mas não terminou um processo negocial. Exemplo disso é a revisão dos subsídios e dos suplementos na PSP, assim como o diploma de higiene, saúde e segurança no trabalho", acusa o SPP.

Relacionadas