1952-2022

João Rendeiro encontrado morto na prisão

JN

O ex-banqueiro João Rendeiro no Tribunal de Verulam, Durban, África do Sul

Foto Lusa

O antigo banqueiro João Rendeiro foi encontrado morto na prisão de Westville, em Durban, África do Sul.

A Polícia Judiciária e a advogada June Stacey Marks confirmaram ao JN a morte do ex-banqueiro, que se terá suicidado.

Ao JN o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) afirmou ter tomado "conhecimento formal esta manhã da notícia do falecimento de João Rendeiro".

"A rede diplomática e consular na África do Sul está a acompanhar a situação e em contacto com as autoridades sul-africanas, a procurar mais informações sobre o que tenha ocorrido. Como em qualquer situação que envolve um cidadão nacional, será prestado o apoio habitual nestes casos", referiu fonte do MNE.

Detido em 11 de dezembro na cidade de Durban, após quase três meses fugido à justiça portuguesa, João Rendeiro tinha sido, então, presente ao juiz Rajesh Parshotam, do tribunal de Verulam, que lhe decretou no dia 17 de dezembro a medida de coação mais gravosa, colocando-o em prisão preventiva no estabelecimento prisional de Westville.

Antes, no dia 14 de dezembro, Rendeiro tinha garantido aos jornalistas, no final de um audiência em tribunal, que nunca seria extraditado. "Eu não vou regressar a Portugal", garantiu.

O ex-banqueiro havia sido condenado em três processos distintos relacionados com o colapso do BPP, tendo o tribunal dado como provado que tinha retirado do banco 13,61 milhões de euros. Das três condenações, apenas uma já tinha transitado em julgado, não admitindo mais recursos e João Rendeiro teria de cumprir uma pena de prisão efetiva de cinco anos e oito meses.

João Rendeiro tinha ainda sido condenado a 10 anos de prisão num segundo processo e a mais três anos e seis meses num terceiro processo, sendo que estas duas sentenças ainda não tinham transitado em julgado.

O colapso do BPP, em 2010, lesou milhares de clientes e causou perdas de centenas de milhões de euros ao Estado.

Relacionadas