Anti-confinamento

Juiz negacionista desafia diretor nacional da PSP para combate de artes marciais

Roberto Bessa Moreira

Rui Fonseca e Castro

Rui Fonseca e Castro, que foi suspenso pelo Conselho Superior de Magistratura, quer travar uma luta de MMA com Magina da Silva para resolver diferendo sobre as medidas de confinamento. Em caso de derrota, o diretor nacional teria de admitir na televisão que era "um pau mandado do Governo"

O juiz Rui Fonseca e Castro desafiou o diretor nacional da PSP, Magina da Silva, para uma luta corpo a corpo. Para o magistrado, que na semana passada foi suspenso pelo Conselho Superior de Magistratura por ser um ativista anti-confinamento, esta seria a solução ideal para resolver o diferendo que opõe os dois responsáveis desde que Magina da Silva apresentou uma queixa contra Rui Fonseca e Castro por este ter promovido uma manifestação contra o uso de máscara, na qual foram cumpridas as normas de distanciamento social.

Num vídeo colocado nas redes sociais, o juiz começa por anunciar que tem "uma proposta para o senhor Magina para resolver isto como homens". "Eu e o senhor Magina fazemos uma luta de MMA [uma modalidade de artes marciais] e se o senhor Magina ganhar eu paro com tudo o que estou a fazer, não ajudo mais ninguém e desapareço de todo o lado", refere.

A falar sozinho para a câmara, o magistrado explica, em seguida, as consequências de uma vitória sua. "Se eu ganhar, o senhor Magina vai à televisão e vai dizer: eu sou um idiota, um fantoche, um pau mandado do Governo e só estou neste cargo por ser maçon".

Neste ponto, Rui Fonseca e Castro faz questão de afirmar que não está a dizer que "o senhor Magina da Silva seja um idiota, um fantoche, um pau mandado do Governo". "Não, o que estou a dizer é que se perder, ele tem ir à televisão e dizer: eu, Manuel Magina da Silva, sou um idiota, um fantoche, um pau mandado do Governo e só estou neste cargo por ser maçon".

Ao longo de mais de dois minutos, o juiz esclarece que o diretor nacional da PSP "até pode estabelecer as regras" do combate, em que, garante, estará em desvantagem devido às várias lesões que afetam a sua condição física. "Seja um homem e aceite este desafio", conclui Rui Fonseca e Castro.

O juiz tem-se destacado pelas suas posições anti-confinamento e divulgou um Caderno de Minutas para que os cidadãos "possam fazer valer os seus direitos perante o ataque violento e sistemático que o Estado tem feito aos nossos mais elementares direitos fundamentais". É também um dos elementos do grupo "Jurista pela Verdade", que contesta as medidas impostas pelo Governo para combater a propagação da covid-19.

Relacionadas