Violência

PSP investiga tiroteio e agressões na Figueira da Foz

As vítimas foram identificadas pela polícia, tendo os alegados agressores fugido do local

Foto Arquivo Global Imagens

A PSP da Figueira da Foz está a investigar um tiroteio, ocorrido na madrugada deste domingo, cerca das 3 horas, na zona turística do Bairro Novo, disse à Lusa fonte policial.

Uma hora mais tarde, cerca das 4 horas, a algumas dezenas de metros da primeira ocorrência, três homens agrediram um casal proprietário de um bar e uma funcionária, que tiveram de receber tratamento hospitalar, adiantaram a mesma fonte da PSP e fonte dos bombeiros.

"São ocorrências completamente distintas. A da arma de fogo foram disparados dois tiros para o ar, e não houve nenhum ferido, já confirmamos com os hospitais. Foram recolhidas provas no local e o caso está sob investigação", disse hoje à agência Lusa fonte da Divisão Policial da PSP da Figueira da Foz.

A mesma fonte acrescentou que os disparos foram feitos no cruzamento entre a rua da Liberdade e a zona pedonal do Picadeiro - localizada perto do Casino e onde existem diversos bares, muito frequentados, em especial durante as noites de fim-de-semana -, por um homem, ainda não identificado pelas autoridades.

"Na outra situação, três indivíduos estavam a urinar contra a porta do estabelecimento, foram chamados à atenção e agrediram um casal [proprietário do bar]", disse a fonte policial.

O bar em causa já estaria encerrado na altura das agressões e as vítimas foram identificadas pela polícia, tendo os alegados agressores fugido do local.

Por serem três, os agressores são suspeitos de crime de ofensa à integridade física qualificada -- que, de acordo com fonte da PSP, não necessita de queixa, decorrendo o processo no Ministério Público com base no auto policial - tendo agredido primeiro o proprietário e depois a mulher deste e uma funcionária, que foram em seu auxílio.

Fonte dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz (BVFF) explicou, por seu turno, que as três vítimas das agressões foram transportadas ao hospital distrital em momentos diferentes: "O ferido mais grave foi numa ambulância da Cruz Vermelha e nós transportámos a mulher, de 32 anos, com ferimentos ligeiros", precisou.

A terceira vítima das agressões, funcionária do bar, que também sofreu ferimentos ligeiros, começou por ir para casa, "mas sentiu-se mal e umas horas depois acabou por ser também levada para o hospital", frisou a fonte dos BVFF.

A agência Lusa contactou o proprietário do bar que ficou ferido que recusou prestar declarações sobre o sucedido: "Não quero falar disso, só quero esquecer", frisou.

Câmara condena "clima de insegurança"

A Câmara Municipal da Figueira da Foz considera que "o clima de insegurança" numa zona de bares da cidade "não pode continuar", manifestando-se determinada a agir com "firmeza". Em nota de imprensa, o gabinete da presidência da autarquia litoral do distrito de Coimbra alude aos "lamentáveis e graves incidentes, com disparos e agressões" ocorridos na zona turística do Bairro Novo, perto do Casino, duas situações distintas, uma delas que provocou três feridos.

"Com o devido equilíbrio e com a devida firmeza, agiremos nesse sentido com determinação", acrescenta a nota emitida pelo gabinete da presidência da autarquia.

No texto, o município informa que o presidente da câmara Pedro Santana Lopes "já entrou em contacto com uma das vítimas, marido de outra pessoa agredida", tendo ainda solicitado a um vereador que se deslocasse à PSP, onde se "reuniu com o oficial de dia".

No anterior mandato autárquico, a Câmara Municipal elaborou o projeto e caderno de encargos para a instalação de um sistema de videovigilância no Bairro Novo, cujo concurso não chegou a ser lançado, aparentemente por se estar em final de mandato e transitou para o atual executivo.

O projeto de videovigilância incluía a instalação de 16 câmaras ligadas à PSP da Figueira da Foz - com quem a autarquia estabeleceu um protocolo nesse sentido, em articulação com o comando distrital daquela polícia - e pressupunha que o equipamento estivesse ativo em determinados horários de maior afluência à zona do Bairro Novo.