Gondomar

Sem-abrigo forçou mulher que o retirou da rua a relações sexuais

Roberto Bessa Moreira

Foto Arquivo Global Imagens

Vítima ficou infetada com doença sexualmente transmissível que agressor manteve oculta. Homem foi detido e colocado em prisão preventiva

Um sem-abrigo forçou a mulher que o retirou da rua a relações sexuais e a infetou-a com uma doença sexualmente transmissível que manteve oculta. E quando a vítima o colocou fora de casa teve um ataque de fúria, invadiu a residência e partiu muitos dos objetos que decoravam a habitação. Com 55 anos, o agressor foi detido em Gondomar e, no final da semana passada, colocado em prisão preventiva.

O indivíduo já tinha antecedentes criminais por bater numa antiga companheira e por outros crimes cometidos desde que passou a viver na rua. Um passado que, mesmo aliado ao consumo excessivo de álcool, não afastou a mulher, de 46 anos, que conheceu no ano passado. Esta, aliás, acolheu-o na sua própria habitação e, desde dezembro último, que manteve com ele um relacionamento amoroso.

Os primeiros tempos foram pacíficos, mas já este ano registaram-se vários episódios de violência. Primeiro, foram insultos, depois as agressões e, finalmente, as relações sexuais forçadas. Devido a estes contactos sexuais, a mulher, desempregada e com três filhas que também residiam na habitação de Gondomar, contraiu uma doença sexualmente transmissível que o sem-abrigo possuía, mas que nunca confessou ter.

Por tudo isto, a vítima decidiu terminar com o relacionamento amoroso e expulsar de casa o namorado. O homem voltou à rua, mas, no final da semana passada, tentou reatar a relação com promessas de parar com qualquer tipo de agressão. A companheira não acreditou e não o deixou regressar ao lar.

Perante a intransigência da mulher, o agressor arrombou a porta da habitação e, já no seu interior, destruiu muitos dos objetos que lá se encontravam. Amedrontada, a vítima alertou a GNR e o caso passou para a dependência do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas do Porto, que, no final da semana passada, deteve o agressor. Após ser interrogado no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, o agressor foi colocado, por decisão do juiz, em prisão preventiva.