Crimes

Trio que espalhou terror no Norte fica em preventiva

Alexandre Panda

Os indivíduos assaltaram dezenas de postos de combustível

Os indivíduos assaltaram dezenas de postos de combustível

Os indivíduos assaltaram dezenas de postos de combustível

Os indivíduos assaltaram dezenas de postos de combustível

Os indivíduos assaltaram dezenas de postos de combustível

Os três elementos do gangue que, em apenas oito meses, pôs o Norte do país em alvoroço com pelo menos cinco dezenas de assaltos violentos, vão aguardar julgamento em prisão preventiva. A medida foi decretada no final de tarde desta quarta-feira pelo Tribunal de Instrução Criminal do Porto.

Os indivíduos, suspeitos de inúmeros roubos e furtos a áreas de serviços de autoestradas, postos de combustíveis de cerca de dez concelhos, CTT e hipermercados, foram detidos na quarta-feira pela Polícia Judiciária do Porto em Vila Nova de Gaia e Matosinhos.

Têm antecedentes criminais e um deles até estava em prisão domiciliária, sem vigilância eletrónica. Aproveitava as madrugadas para fazer assaltos.

Santo Tirso, Trofa, Amarante, Penafiel, Castelo de Paiva, Arouca, Seia, Gaia, Vila Real, Estarreja, Marco de Canaveses e Lamego são alguns dos concelhos onde os três indivíduos perpetraram os assaltos. De acordo com informações recolhidas pelo JN, começaram a série de assaltos com roubos à mão armada em áreas de serviço de autoestradas em novembro do ano passado. A PJ imputa-lhes roubos de dinheiro e tabaco na A1, A3, A4, A7, A11, A25, A28 e A29. Antes dos assaltos, os indivíduos furtavam viaturas na via pública que, depois dos roubos, eram abandonadas.

Após alguns meses, o grupo começou a dedicar-se aos furtos a lojas de apoio de postos de abastecimento. O objetivo era, essencialmente, tabaco. Apesar de atuarem de madrugada, para evitarem funcionários, iam armados com uma caçadeira. E atuavam sempre encapuzados, algumas vezes com máscaras. "Os mesmos suspeitos levaram também a cabo inúmeros furtos qualificados, com arrombamento, em postos de abastecimento de combustíveis, supermercados, outros estabelecimentos comerciais e numa estação dos CTT (Gueifães - Maia), destruindo montras e arrancando grades, em diversas zonas do Norte e do Centro do país, designadamente Porto, Braga, Vila Real, Viseu, Aveiro e Guarda", adiantou fonte da PJ.

Em Estarreja e Penafiel, ao serem surpreendidos pela chegada de uma patrulha da GNR, dispararam em direção aos militares. No concelho do Vale do Sousa, após um furto na Cepsa de Cabeça Santa, fugiram em direção a Castelo de Paiva, onde, apesar de terem momentos antes usado a caçadeira contra a GNR e já existir uma alerta geral, cometeram outro furto, numas bombas da Repsol. Na mesma madrugada, a 12 de abril, ainda foram a Arouca roubar tabaco na BP de Escariz. No final de abril, após terem sido perseguidos pela GNR, depois de outros assaltos na zona de Barcelos, abandonaram uma viatura, com tabaco, dinheiro e uma caçadeira. Foi tudo apreendido pelas autoridades.