Covid-19

ASAE fiscaliza farmácias por causa de especulação

ASAE fiscaliza farmácias por causa de especulação

Instaurado um processo-crime e duas contraordenações por práticas comerciais ilegais.

A ASAE instaurou um processo-crime a uma farmácia que estava a comercializar álcool gel a um preço superior ao de mercado. Outras duas farmácias foram alvo de contraordenações por práticas comerciais ilegais e a ASAE está ainda a analisar cinco ocorrências por suspeita de obtenção de lucro ilegítimo.

Este é o balanço do primeiro dia de uma ação de fiscalização em farmácias, para averiguar denúncias sobre o aumento de preços em produtos de prevenção contra a propagação do novo coronavírus e para apurar se existe o crime de especulação.

Ontem, a ação de fiscalização incidiu sobre estabelecimentos localizados em Lisboa e Vale do Tejo, mas, segundo a ASAE, este tipo de iniciativas irão continuar noutros pontos do país para combater a especulação e assegurar "que os produtos que estão no mercado cumprem os requisitos, garantindo a concorrência leal e a segurança dos consumidores".

A preocupação dos inspetores incide em "equipamentos de proteção individual e dispositivos médicos (máscaras, luvas, fatos), bem como produtos biocidas designadamente álcool, álcool gel e desinfetantes".

A operação de fiscalização desenrolou-se após, só na última semana, várias denúncias terem sido partilhadas em redes sociais e divulgadas em órgãos de comunicação social sobre o disparar dos preços destes produtos, havendo em muitas farmácias anúncios colocados nas montras e nas portas a informar que estão esgotados. A ASAE faz parte do grupo de trabalho criado pelo governo para análise e fiscalização dos preços no mercado de revenda, farmácias e setor agro-alimentar face à pandemia de Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG