Justiça

Aspirante a freira que fugiu de convento denuncia castigos

Aspirante a freira que fugiu de convento denuncia castigos

Helena Costa, de 43 anos, calou durante quase 25 anos os segredos da sua passagem pela Fraternidade Missionária Cristo Jovem, em Requião, Vila Nova de Famalicão, como "aspirante" a "freira".

Com as notícias sobre a intervenção da Polícia Judiciária e as acusações de escravidão sobre o padre Joaquim Milheiro e três religiosas, não aguentou mais e decidiu contar, ao JN, tudo o que que ali passou antes de fugir, incluindo o espancamento de Maria Amélia Serra, irmã que morreu 15 anos depois no "convento", supostamente por se ter suicidado.

Hoje, Helena é casada e tem filhos, mas constituir família não foi o que sempre quis. As aparições de Medjugorje, uma zona da antiga Jugoslávia hoje parte da Bósnia, em 1981, fizeram despertar a sua vontade de entregar-se de corpo e alma à vida religiosa. E quando foi criado um grupo de oração a este propósito, juntou-se a ele. Depois, começou a frequentar a Fraternidade, quando esta ainda estava instalada no Sameiro, em Braga. Em 1989, já com 17 anos, passou uma semana em Requião e gostou, acabando por decidir entrar para a vida religiosa, mesmo contra a vontade dos pais.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG