Maia

Assalta gasolineira, foge a perseguição da GNR e aponta faca a condutor

Assalta gasolineira, foge a perseguição da GNR e aponta faca a condutor

Um assaltante roubou umas bombas de gasolina, fugiu à perseguição dos militares da GNR e ainda apontou a faca a um automobilista para o obrigar a arrancar, a grande velocidade. Foi, contudo, detido e posto em prisão preventiva. Tudo aconteceu a meio do dia desta quarta-feira, na Maia.

O antigo recluso, com 33 anos e de nacionalidade guineense, entrou numa gasolineira da Repsol, situada em Moreira da Maia, pelas 12.30 horas e apontou uma faca à funcionária para roubar pouco mais de 600 euros guardados na caixa registadora, 60 maços de tabaco que estavam em exposição e três telemóveis. Estava já a fugir do local quando se cruzou com dois militares do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Matosinhos da GNR que, naquele momento, estavam no local e se aperceberam do crime em curso. Abordado pelos guardas, o ladrão ameaçou-os com a arma branca e começou a correr pela Estrada Nacional 13 para fugir.

À civil, os dois elementos do NIC foram no seu encalço e contaram com o auxílio de um terceiro militar que, mesmo de folga, também tentou apanhar o fugitivo logo que deu conta do que estava a acontecer. Mesmo com três guardas atrás de si, o assaltante não desistiu e tentou entrar nalguns carros que estavam estacionados, ainda com os condutores ao volante, ao longo da via.

PUB

A primeira tentativa, porém, revelou-se infrutífera porque a viatura tinha as portas trancadas. Já na segunda vez, o fugitivo conseguiu entrar no automóvel e apontar a faca ao condutor para que este arrancasse de imediato. A fuga só não se concretizou porque um militar do NIC e o guarda de folga conseguiram alcançar o carro antes deste iniciar a marcha e agarrar o ladrão.

O cadastrado ainda tentou esfaquear os guardas para evitar ser apanhado, mas acabaria detido. Nesta quinta-feira, foi levado a tribunal e, depois do primeiro interrogatório judicial, o juiz ordenou a sua prisão preventiva. Para essa decisão contaram os antecedentes criminais por vários roubos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG