Caldas da Rainha

Bar que oferecia bifanas durante a pandemia foi assaltado e pode encerrar

Bar que oferecia bifanas durante a pandemia foi assaltado e pode encerrar

​​​​​​"Desolado e sem palavras". Emanuel Chamusco não consegue disfarçar a voz da prostração. Sensível aos efeitos da pandemia, o proprietário do Caldas Bar, nas Caldas da Rainha, avançou com uma campanha de doação de bifanas a quem estava a passar por dificuldades e, mais tarde, aos profissionais de saúde.

Chegou a fazer 300 bifanas por dia para oferecer. Mas na madrugada da passada segunda-feira, tudo se desmoronou. O estabelecimento foi assaltado e os prejuízos deixam-no agora num beco sem saída. Não só para conseguir manter o negócio, mas sobretudo os postos de trabalho dos dois funcionários que o têm acompanhado nesta aventura empresarial.

"Para lhe ser sincero, estou um bocado desorientado. Não sei como vai ser. Estou a tentar fazer um empréstimo e fiz uma proposta à Santa Casa da Misericórdia para pagar o jogo de forma faseada. Se não conseguir, provavelmente vou ter que fechar", desabafou esta terça-feira ao JN.

Ao todo, segundo o empresário, os assaltantes deixaram um rasto de prejuízos na ordem dos 66 mil euros. "Levaram um cofre com 33.400 euros", vários maços de raspadinhas, avaliados em cerca de 33 mil euros, e ainda tabaco e bebidas.

Para entrarem no estabelecimento, os ladrões subiram um telhado para ter acesso a uma janela do bar. Lá dentro, depois de se apoderarem dos bens, danificaram o sistema de videovigilância e retiraram a cassete com as gravações. A Polícia Judiciária já esteve no local a recolher elementos que levem à identificação dos autores.

Entretanto, e como forma de reconhecer a veia solidária de Emanuel Chamusco, foi iniciado um movimento de apoio ao empresário, para o ajudar a reerguer o negócio. Até agora, já lhe tinham sido doados 7.000 euros. Mas o futuro vai depender da resposta da Santa Casa da Misericórdia. "O jogo era essencial para manter o sustento da casa. Sem ele, será difícil continuar", lamenta o empresário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG