Internet

Blogue "Mercado de Benfica" volta a ser encerrado

Blogue "Mercado de Benfica" volta a ser encerrado

O blogue "Mercado de Benfica", que divulgou recentemente e-mails do gabinete de advogados PLMJ, que presta serviço jurídico ao clube encarnado, foi encerrado. O blogue tinha migrado para um servidor do Irão depois de a Wordpress o ter encerrado.

Em poucos dias, é a segunda vez que o blogue "O Mercado de Benfica", que, ao longo dos últimos meses, tem revelado e-mails do Benfica, foi encerrado. Alojado desde 5 de janeiro num servidor iraniano, a plataforma bloqueou o conteúdo do blogue deixando a seguinte mensagem: "a página está bloqueada devido à não observância das regras e regulamentos do site", pode ler-se em árabe.

Entretanto, o Benfica já veio a público, através da sua newsletter, dizer ser vítima de criminalidade organizada. "A notícia de que pelo menos um dos escritórios de advogados que trabalha para o Benfica foi vítima recente do crime de violação e divulgação da sua correspondência privada, por parte do blogue que desde a primeira hora nos atacou, vem provar de forma inequívoca que estamos perante uma estrutura criminosa altamente organizada, profissional e acaba com todas as dúvidas sobre a origem e quem está por trás do roubo dos nossos emails, eliminando em definitivo a tese de que tal roubo poderia resultar de uma fuga interna", escreve o Benfica.

Depois de ter sido encerrado, no passado dia 5 de janeiro, o "Mercado do Benfica" reabriu com novo endereço "num pequeno interposto no Irão", segundo a publicação, que passou a divulgar correspondência dos três advogados contratados pelos encarnados para os defender dos vários processos-crime.

Para além de troca de mails sobre por exemplo o caso e-Toupeira, foram divulgados e-mails sobre a Operação Marquês e caso EDP, envolvendo clientes como o líder da EDP António Mexia, o ex-presidente da PT Henrique Granadeiro, o ex-ministro Manuel Pinho e o ex-banqueiro do BES, Ricardo Salgado.

Ainda na newsletter do Benfica, os encarnados atiram-se a Francisco J. Marques: "como se sabe, a face visível dessa rede criminosa tornou-se pública quando, através do Porto Canal, o diretor de comunicação do FCP surgiu como porta-voz do roubo dos emails, num crime que está sob investigação e que já levou à sua constituição como arguido, bem como de todos os administradores do FC Porto, neste caso pelo crime de ofensa a pessoa coletiva", pode se ler na página Internet do Benfica.

Outras Notícias