Suspeita de viciação

Bomba cobrava 1,65 euros antes do abastecimento de combustível

Bomba cobrava 1,65 euros antes do abastecimento de combustível

A ASAE detetou, em flagrante delito, uma bomba de combustível de Vila Pouca de Aguiar, de gasóleo simples, que cobrava dinheiro aos clientes antes destes começarem o abastecimento.

"Durante a ação os inspetores verificaram que, no início de cada abastecimento, após o reset do contador e mesmo antes de ser pressionado o manípulo da agulheta da bomba, o contador alterava-se automaticamente, cobrando valores até 1,65 Euros, sem que o consumidor tivesse feito qualquer abastecimento efetivo", explica a ASAE em comunicado.

As bombas já tinham sido sujeitas a controlo metrológico este ano e exibiam o respetivo selo de validade e de conformidade. Os inspetores da ASAE selaram os equipamentos e procederam à apreensão, de forma cautelar, para a respetiva perícia técnica.

PUB

"Em causa estão fortes indícios do crime de especulação (delito antieconómico) e eventual crime de falsificação de notação técnica, tendo os factos sido, de imediato, comunicados ao Ministério Público", esclarece ainda a ASAE.

De referir que se trata da quarta ocorrência semelhante detetada pela ASAE nos últimos meses.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG