Tribunal

Bombeiro condenado a 18 anos e seis meses de prisão por matar amante

Bombeiro condenado a 18 anos e seis meses de prisão por matar amante

O tribunal de Viseu condenou Carlos Loureiro, bombeiro de Moimenta da Beira acusado de matar a amante, a 18 anos e seis meses de prisão, por homicídio qualificado.

Carlos Loureiro, bombeiro de 27 anos, confessou, durante o julgamento, ter matado à facada Marina Fernandes, em Moimenta da Beira, depois de uma discussão sobre uma alegada gravidez.

O Ministério Público tinha pedido pena "próxima da máxima" e nunca inferior a 21 anos, para Carlos Loureiro, por acreditas que o arguido inventou a tese de que a vitima lhe exigiu 30 mil euros para não revelar que estava grávida dele, versão que só apresentou em julgamento e que antes não revelou a ninguém.

Além disso, o MP diz que, se a vitima queria extorquir dinheiro, não o iria agredir, ao contrário do que disse o bombeiro. "Se quisesse extorquir dinheiro, o normal era dizer que iria contar que estava grávida dele", alegou a procuradora.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG