Exclusivo

Braga: Marido raptado não acredita que esposa ciumenta encomendou crime

Braga: Marido raptado não acredita que esposa ciumenta encomendou crime

Uma mulher está a ser julgada no Tribunal de Braga por, alegadamente, ter encomendado o rapto do próprio marido. Mas a vítima, que os sequestradores iriam agredir e deixar nu na Serra do Gerês, disse aos juízes não acreditar ter sido a esposa a contratar o crime. O homem só não foi para a Serra porque conseguiu saltar de um carro em andamento, a alta velocidade, a 8 de outubro de 2020.

O depoimento do marido foi o facto mais saliente do julgamento, que começou na semana passada com o principal executor do rapto a confessar o crime ao pormenor. Alguns dos outros seis arguidos, detidos no ano passado, também assumiram responsabilidades.

O marido, Paulo Costa, de 39 anos, admitiu que a relação conjugal teve problemas antes do rapto, cometido durante a noite, a cerca de 200 metros da Polícia Judiciária de Braga. A esposa, Liliana Alves, de 42 anos, terá descoberto que o marido "andava com putinhas", apercebendo-se do alegado pagamento prévio de serviços sexuais, estabelecidos através da rede social Instagram.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG