Acusação

Branquinho terá recebido 225 mil euros para influenciar autarcas de Valongo

Branquinho terá recebido 225 mil euros para influenciar autarcas de Valongo

O Ministério Público (MP) assegura que Agostinho Branquinho recebeu 225 mil euros em contrapartida pela intervenção que teve junto de Fernando Melo, ex-presidente de Câmara de Valongo, dos ex-vereadores Carlos Teixeira e Maria Trindade do Vale, além de técnicos, todos também acusados, no âmbito do caso de tráfico de influências e prevaricação em torno da construção e instalação do Hospital de São Martinho (privado) de Valongo. O valor terá sido pago por Joaquim Teixeira, administrador da empresa PMV, dona do hospital, também arguido.

De acordo com a acusação, os 225 mil euros foram entregues em maio de 2007, através de transferência bancária. O dinheiro - refere o MP - destinou-se a "pagar os serviços já prestados e a prestar pelo arguido Agostinho Branquinho, pela influência movida juntos dos decisores políticos nos processos de licenciamento referentes ao Hospital de S. Martinho, e junto da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte na pessoa do seu presidente, Alcino Barbosa (não é arguido), entidade responsável pela decisão de candidatura da PMV à Rede Nacional de Cuidados Continuados".

Branquinho é acusado de ter conseguido, através da obtenção fraudulenta do estatuto de interesse público municipal, contornar as regras do PDM para aumentar de quatro para sete pisos o edifício do hospital. A influência terá também permitido obter uma poupança de 36 mil euros em taxas municipais e ainda obter para a administração do hospital 424 mil euros, através de um protocolo com a ARS, ao tornar a unidade de saúde integrante da Rede de Cuidados Continuados.

O MP calcula que o imóvel obteve com os crimes uma valorização de 1,3 milhões de euros. O MP reclama 2,3 milhões aos arguidos, por vantagens dos ilícitos.v

Nega crimes

A mulher do ex-deputado e atual administrador do Hospital da Prelada disse à Lusa que "tudo irá fazer para repor a verdade", negando ilegalidades.

Câmara assistente

A Câmara de Valongo, liderada por José Manuel Ribeiro, vai constituir-se assistente e reclamar indemnização por prejuízos associados à violação do PDM.

Outras Notícias