Maia

Burlões detidos em flagrante pela GNR quando tentavam extorquir costureira

Burlões detidos em flagrante pela GNR quando tentavam extorquir costureira

Os alvos eram cuidadosamente selecionados, sendo preferencialmente pequenos empresários na área do comércio, e a abordagem era sempre a mesma: um inesperado telefonema de uma alegada empresa de publicidade online para cobrar um suposto serviço contratado há dois anos e, depois, a visita de "cobradores", exigindo o pagamento da falsa dívida.

Olinda Lima, uma costureira com uma loja de arranjos de costura no Centro Comercial das Guardeiras, em Moreira da Maia, era uma das vítimas na mira dos burlões, que a contactavam desde a passada quinta-feira na tentativa de obter, por meio do mesmo esquema, a quantia de 488 euros. Na segunda-feira à tarde, porém, a GNR deteve em flagrante um homem e uma mulher no momento em que tentavam burlar a comerciante.

"Na quinta-feira de manhã, ligou-me uma mulher a dizer que eu tinha uma dívida com a empresa de publicidade online e que tinha feito o contrato há dois anos. Disse-lhe que era impossível e que não tinha feito contrato com eles. Ela ameaçou, e disse que iam pôr-me um processo em tribunal. Começou a ser bastante agressiva, e fiquei intimidada", relatou ao JN Olinda Lima, que voltou a ser contactada por telefone na sexta-feira, sob o pretexto de lhe solicitarem o número de contribuinte, a fim de emitirem uma fatura.

Na segunda-feira, a costureira foi surpreendida, na loja, pela visita de um homem e de uma mulher, com cerca de 45 anos, que se intitularam funcionários da suposta empresa de publicidade e pediram "três cheques pré-datados", um procedimento que, garantiram a Olinda, lhe pouparia o pagamento de IVA. "Em lugar de serem 488 euros, eram 300 e tal", recorda a comerciante, que, perante a cobrança de uma suposta dívida, lhes exigiu identificação de funcionários da alegada empresa. "Comecei a confrontá-los, e um cliente, que achou suspeita a maneira como eles estavam a falar comigo, intrometeu-se na conversa", contou a costureira, referindo que esse cliente se identificou como militar da GNR.

O guarda, que se encontrava fora de serviço, também solicitou a identificação dos indivíduos e, sem que estes a fornecessem, foram chamados ao local elementos do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Matosinhos, que procederam à detenção dos mesmos pelos crimes de burla qualificada e extorsão.

Outros Artigos Recomendados