Premium

Burocracia adiou ajuda a mulher morta por ex-marido

Burocracia adiou ajuda a mulher morta por ex-marido

Autoridades queriam ouvir Ana Mafalda na sequência da queixa contra ex-companheiro 13 dias antes de ser morta. Burocracia também adiou apoio.

Ana Mafalda Teles não queria perder o emprego e por isso não conseguiu arranjar tempo para ser ouvida no processo aberto pelas autoridades na sequência da queixa por ameaças que apresentou na GNR dos Carvalhos, em Gaia, contra o ex-companheiro. Mas, 13 dias depois, acabou assassinada a tiro, em Grijó, pelo ex-marido, que veio a tentar o suicídio e pediu que fossem socorrer a vítima.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG