Exclusivo

Cadastrado julgado por violar mulher duas horas no Porto

Cadastrado julgado por violar mulher duas horas no Porto

Suspeito, atualmente em prisão preventiva, estava em liberdade condicional quando raptou, roubou e torturou sexualmente a vítima.

Havia apenas três meses que estava em liberdade condicional. Após ter cumprido cerca de 14 anos de penas de prisão de um conjunto de sete processos de roubo, violação, extorsão e sequestro, o homem, de 43 anos, voltou a molestar uma mulher, que abordou na rua, perto do Bairro do Cerco, no Porto. Numa casa abandonada, violou-a repetidamente, sujeitando-a a torturas sexuais, com agressões e ameaças de morte. O indivíduo, em prisão preventiva desde setembro do ano passado, começa esta quinta-feira a ser julgado no Tribunal de S. João Novo, por três crimes de violação, um de rapto e outro de roubo.

De acordo com a acusação do Ministério Público (MP), no dia 26 de setembro do ano passado, a vítima seguia na Rua do Peso da Régua, na zona do Bairro do Cerco, a pé, sozinha. Ia ter com uma amiga com quem combinara ir de férias. Ainda não eram seis da manhã quando foi abordada pelo arguido, a pretexto de lhe perguntar se tinha um isqueiro. Como não fumava, a mulher seguiu o seu caminho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG