Matosinhos

Cães da GNR apanham incendiário inimputável em fuga da cadeia

Cães da GNR apanham incendiário inimputável em fuga da cadeia

Um homem de 34 anos que se tinha evadido da cadeia de Santa Cruz do Bispo na passada quinta-feira foi capturado esta tarde pela GNR. O incendiário, considerado inimputável, estava escondido a pouca distância da cadeia. Foi encontrado pelos cães da GNR.

O fugitivo havia sido condenado em 2019 a nove anos de prisão por incêndio florestal. Foi considerado inimputável e estava a cumprir pena em regime aberto na cadeia de Santa Cruz do Bispo, em Matosinhos, na unidade de transição da Clínica de Psiquiatria e Saúde Prisional.

Na manhã da passada quinta-feira ter-se-á ausentado ilegitimamente das instalações. Após falhar a segunda contagem, a meio da manhã, foi dado o alerta e iniciaram-se as buscas.

PUB

O recluso viria a ser encontrado pelos binómios da GNR, que esta manhã de segunda-feira foram para o terreno à sua procura. Estava escondido no monte de São Brás, que fica a cerca de 200 metros da cadeia. Ficou sob custódia da GNR e, pelas 19.20 horas, foi entregue ao estabelecimento prisional de onde havia fugido.

Recorde-se que esta segunda-feira Portugal entrou em situação de contingência devido às temperaturas elevadas e ao elevado risco de incêndios florestais. A situação mantém-se até sexta-feira, dia 15.

Ao JN, o presidente do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional, Carlos Sousa, explicou que a Casa de Santo André, onde estava instalado o recluso, era controlada por um guarda prisional colocado numa torre de vigilância. Torre que, no entanto, foi desativada e substituída por câmaras de videovigilância. "Por muitas câmaras de videovigilância que se instalem, nenhuma jamais irá substituir o trabalho de um guarda prisional", criticou o dirigente sindical.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG