Justiça

Cantoneiro usava farda e conduzia viaturas da Polícia de Sintra

Cantoneiro usava farda e conduzia viaturas da Polícia de Sintra

Um assistente operacional da área de higiene e limpeza da Câmara de Sintra terá usado, indevidamente, o uniforme da Polícia Municipal (PM) bem como conduzido viaturas daquela corporação, exercendo, assim, funções policiais sem qualquer tipo de formação. A autarquia, que desconhecia a situação, já abriu um "processo de averiguações para apuramento dos factos", confirmou o JN.

Segundo a revista "Sábado", que avançou a notícia, o nome do cantoneiro de limpeza surge, inclusive, nas escalas de serviço diário da Polícia Municipal de Sintra, como na de 15 de abril deste ano, por exemplo, onde aparece destacado para a receção de viaturas no Parque Municipal de Vale Mourão, na freguesia de Rio de Mouro, no turno 2, ou seja, entre as 7 e as 13 horas.

No entanto, Francisco Sanches não estará habilitado para a função de guarda deste equipamento municipal, para onde são removidos, por exemplo, os veículos estacionados indevidamente na via pública ou aqueles que apresentem sinais exteriores de inutilização, uma vez que se trata de um assistente operacional sem competências e formação para o exercício de funções policiais.

PUB

Ainda assim, de acordo com a mesma publicação, isso não o terá impedido de trabalhar por turnos, tal como os agentes municipais, de usar uniforme ou até de conduzir viaturas da polícia municipal e tudo com a aparente conivência do atual comandante da Polícia Municipal de Sintra, o major da GNR Manuel Lage, que, tal como JN tem vindo a noticiar, tem estado debaixo de fogo pela conduta que tem adotado ao comando deste corpo de polícia administrativa nos últimos meses.

A situação que se vive atualmente no seio da Polícia Municipal de Sintra é tensa e foi levantada por quase todas as forças políticas presentes na sessão extraordinária da Assembleia Municipal da última terça-feira. Os deputados Eunice Baeta (Iniciativa Liberal) e António Rodrigues (PSD) defenderam mesmo a suspensão temporária, até ao apuramento dos factos, do atual comandante, na sequência de outras notícias que têm vindo a público, como aquela que revela um crime ambiental que, alegadamente, terá sido encenado por agentes da PM de Sintra.

Sobre este assunto, esta sexta-feira, o JN deu conta que os vereadores do PSD e do CDS na Câmara de Sintra vão apresentar, na próxima semana, em reunião de autarquia, uma proposta que pede ao ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, a abertura de uma investigação à Polícia Municipal de Sintra.

Ao JN, a autarquia diz que será a conclusão dos inquéritos que decorrem que permitirá apurar os factos. "A presunção da inocência e o respeito pela legalidade estão sempre presentes em todas as decisões da autarquia. As condições para o exercício de funções dos dirigentes da Câmara Municipal de Sintra não são condicionadas por pressões externas ou internas", acrescentou. Questionada, na quinta-feira, pelo JN sobre a conduta do major Manuel Lage, a Guarda Nacional Republicana referiu que "não tem qualquer comentário a fazer à situação". Já o Ministério da Administração Interna não se pronunciou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG