Instrução

Carlos Alexandre rejeita levar a julgamento coordenador da PJ e jornalistas

Carlos Alexandre rejeita levar a julgamento coordenador da PJ e jornalistas

O Juiz Carlos Alexandre decidiu não pronunciar o coordenador da Polícia Judiciária (PJ) Pedro Fonseca, que foi acusado de abuso de poder, violação de segredo de justiça e falsidade de testemunho. Os dois jornalistas que eram arguidos também foram ilibados.

O magistrado entendeu não existirem indícios da prática dos crimes que tinha sido imputados aos arguidos pelo Ministério Público (MP). Recorde-se que Pedro Fonseca, que foi coordenador da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ até meados de 2020, era suspeito de fornecer "conteúdos de peças, relatório, despachos, mandados e autos de diligência de processo secretos", aos jornalistas Carlos Rodrigues Lima, subdiretor da Revista Sábado e Henrique Machado, atualmente editor de justiça da TVI, mas à data dos factos no Correio da Manhã.

Em causa estavam notícias publicadas sobre a Operação Lex, o processo e-Toupeira e o caso de emails do Benfica.

O caso gerou polémica depois de se saber que o MP tinha mandado agentes da PSP vigiar os dois jornalistas e ter levantado o segredo bancário para um deles. A apreensão no âmbito do mesmo processo em 2018, dos emails ao então diretor da PJ, Almeida Rodrigues, e de vários líderes e elementos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) também tinha sido contestada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG