Violência doméstica

Carrilho condenado a três anos e nove meses de prisão

Carrilho condenado a três anos e nove meses de prisão

Manuel Maria Carrilho foi condenado a três anos e nove meses de prisão por violência doméstica contra a ex-mulher, Bárbara Guimarães. A pena será suspensa mediante o pagamento de seis mil euros à APAV e de uma indemnização de 40 mil euros à ex-mulher.

A condenação foi decretada pelo Tribunal da Relação de Lisboa, avançou esta manhã de sexta-feira a Rádio Renascença. O ex-ministro da Cultura havia sido absolvido em primeira instância do crime de violência doméstica e apenas condenado por difamação a Bárbara Guimarães.

Após recurso, os juízes da Relação de Lisboa consideraram que Carrilho também havia incorrido no crime de violência doméstica e condenaram-no a três anos e nove meses de prisão.

Segundo a Renascença, a pena de prisão será suspensa caso o ex-ministro faça uma doação de seis mil euros à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV). Terá ainda de pagar uma indemnização de 40 mil euros a Bárbara Guimarães por danos não patrimoniais sofridos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG