Castro Daire

Casa de prostituição aproveita pandemia para aumentar negócio

Casa de prostituição aproveita pandemia para aumentar negócio

A GNR de Viseu encerrou uma casa de prostituição que funcionava com dez mulheres e que aproveitou o fecho das áreas de lazer, durante a pandemia, para potenciar o negócio. O casal que geria a casa foi detido por lenocínio.

De acordo com a GNR de Viseu, o espaço abriu em 2019 e a investigação permitiu "apurar que o casal desenvolvia a referida atividade num bar, onde mantinham dez mulheres que se dedicavam a atividades de cariz sexual com os clientes".

Com as medidas restritivas de encerramento, impostas aos bares e cafés por causa da pandemia da Covid-19, o casal, de 32 e 42 anos, "potenciou o negócio, não seguindo nenhuma das medidas restritivas para a prevenção do contágio da mesma", adianta a GNR que realizou este domingo, 14 buscas, quatro das quais domiciliárias e dez não domiciliárias.

As buscas permitiram a detenção de uma terceira pessoa, uma cidadã de nacionalidade estrangeira, de 28 anos, por permanência ilegal em território nacional.

"Foram ainda notificadas para abandonar o país voluntariamente outras três cidadãs de nacionalidade estrangeiras que também permaneciam de forma irregular no país", explica ainda a GNR.

Da operação resultou ainda a apreensão de 1 500 euros em numerário, de duas doses de cocaína e a elaboração de 12 autos de contraordenação, sendo, um por consumo de estupefacientes, dez por irregularidades administrativas do estabelecimento no que se refere às regras de funcionamento e um outro no âmbito das determinações que vigoram no âmbito da pandemia COVID-19, mormente, por admissão de novos clientes após as 23:00.

Os detidos foram esta segunda-feira levado aos Tribunais de Viseu e Castro Daire, para aplicação de medidas de coação.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG