Porto

Casal condenado a prisão por vender filhos a emigrantes

Casal condenado a prisão por vender filhos a emigrantes

Uma mulher e um homem foram condenados a nove anos de prisão e a cinco anos e oitos meses de prisão, respetivamente, pela venda de quatro filhos bebés entre 2011 e 2017. O acórdão foi lido esta quarta-feira no Tribunal de São João Novo, no Porto.

A mulher de 42 anos e o homem de 46 estavam acusados de ter concebido quatro bebés para os vender a casais homossexuais ou inférteis que viviam no estrangeiro. O tribunal deu como provados os crimes de tráfico de seres humanos, na vertente de tráfico de menores, e falsificação de documentos. Terão lucrado 104 mil euros com a venda das quatro crianças.

PUB

Segundo a acusação, o homem, pedreiro residente em Vila do Conde, manteria uma relação extraconjugal com a mulher, cozinheira brasileira, residente no Porto. A mulher, já tinha três filhos, um dos quais do pedreiro. Em 2011, segundo o Ministério Público, o casal decidiu conceber bebés apenas com o único propósito de os vender.

Vendas através de anúncios nas redes sociais

Através de anúncios nas redes sociais o casal conseguia encontrar compradores, casais homossexuais ou inférteis, de emigrantes portugueses. O esquema passava, primeiro, por registar um dos compradores como o pai biológico da criança. Depois, a mãe abdicava da responsabilidade paternal em favor do suposto progenitor.

Sempre que eram questionados por pessoas que tinham visto a mulher grávida respondiam que tinha abortado ou que o bebé tinha falecido por problemas cardíacos. Terão lucrado 104 mil euros com a venda de quatro bebés, dois dos quais ao mesmo casal. Em 2018 viriam a ser detidos pela Polícia Judiciária do Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG