Operação "Fora de Jogo"

Casillas revela que foram feitas buscas em sua casa no Porto

Casillas revela que foram feitas buscas em sua casa no Porto

O antigo guarda-redes espanhol Iker Casillas revelou, esta quarta-feira, em comunicado, que a Autoridade Tributária (AT) portuguesa realizou buscas à sua casa no Porto, no âmbito da operação "Fora de Jogo".

"Hoje [quarta-feira] de manhã, o Ministério Público português chegou à minha casa no Porto, tal como passou por outras 76 casas de sociedades desportivas, jogadores e clubes, para me pedir documentação. Coloquei-me à sua disposição. Transparência é um dos meus princípios", escreveu Casillas na rede social Twitter.

De acordo com um comunicado também divulgado na página do ex-guardião, Casillas, que se encontra em Madrid, mostrou-se "absolutamente tranquilo" com a investigação e manifestou "plena confiança" na justiça portuguesa.

Iker Casillas, de 38 anos, chegou em 2015 ao F. C. Porto, clube que representou até ao mês passado, durante o qual anunciou o fim da carreira de futebolista, para se candidatar à presidência da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF).

A Autoridade Tributária informou que está a realizar 76 buscas, esta quarta-feira, em vários clubes de futebol, incluindo F. C. Porto, Benfica e Sporting, e casas de dirigentes, numa operação relacionada com crimes fiscais.

"Estão em curso 76 buscas, inclusive domiciliárias, designadamente, em diversos clubes de futebol, respetivas sociedades e dirigentes, escritórios de advogados e agentes intermediários", informou a Procuradoria-Geral da República (PGR) em comunicado, acrescentando que "as diligências realizam-se em todo o país".

A operação "Fora de Jogo", a cargo da Autoridade Tributária (AT) e do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), decorre da investigação a crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais, relacionados com transferências milionárias de jogadores. Existem pagamentos de comissões a empresários que os investigadores do Fisco querem "passar a pente fino".

"No inquérito investigam-se negócios do futebol profissional, realizados a partir do ano de 2015, e que terão envolvido atuações destinadas a evitar o pagamento das prestações tributárias devidas ao Estado português, através da ocultação ou alteração de valores e outros atos inerentes a esses negócios com reflexo na determinação das mesmas prestações", explica a PGR.

O JN sabe que um dos empresários visados é Jorge Mendes, conhecido como o "super-agente".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG