Lisboa

Centenas no cortejo fúnebre de agente da PSP que morreu

Centenas no cortejo fúnebre de agente da PSP que morreu

Mais de 300 pessoas, entre polícias, militares, bombeiros e populares, homenagearam, esta quarta-feira, Fábio Guerra, o agente da PSP, de 26 anos, que, na segunda-feira, morreu após ter sido agredido, fora de serviço, ao tentar acabar com uma rixa à porta de uma discoteca, em Lisboa.

O cortejo fúnebre, escoltado por batedores da PSP, começou, pelas 14 horas, no Instituto Nacional de Medicina Legal, em Lisboa, onde marcaram presença cerca de 40 pessoas.

"Tinha a idade do meu neto, por isso estou aqui em solidariedade", justificou uma idosa, que quis manter o anonimato. Num outro grupo, uma mulher quis, com discrição, deixar uma flor. "Muito obrigado", reagiu o polícia que a recebeu, visivelmente comovido.

O carro funerário seguiu depois para a sede do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, em Moscavide, Loures, onde chegou cerca de 40 minutos depois. À sua espera tinha, apesar da chuva que cai sem parar na Grande Lisboa, mais de 300 pessoas, entre os quais elementos da PSP, da GNR, de uma Polícia Municipal e de uma corporação de bombeiros envergando a farda. Outros optaram por comparecer à civil, acompanhados pela família.

"Jurou defender a pátria e ser brutalmente agredido assim, de forma bárbara...", desabafou, ao JN, Pedro Augusto, de 49 anos, bombeiro e residente, tal como os familiares que o acompanhavam, em Moscavide.

"Que Deus o tenha em paz, não é justo", ouviu-se, entre os restantes populares, presentes no local, que assistiram, em silêncio, à formatura dos polícias ali presentes e à deposição de várias coroas de flores no carro funerário. À saída, o aplauso a Fábio Guerra, cujo caixão foi coberto com a bandeira de Portugal, foi geral.

Manuel José Rodrigues, de 68 anos, que ali se deslocou com amigos, espera que o aparato tenha "impacto". "Espero que algo mude", acrescentou.

PUB

O cortejo fúnebre seguiu para a Covilhã, onde o agente será sepultado, numa cerimónia privada, reservada à família.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG