Exclusivo

César Boaventura não perdoa Lionn e insiste no julgamento

César Boaventura não perdoa Lionn e insiste no julgamento

Ministério Público propôs suspensão provisória do processo em que o agente acusa o jogador brasileiro de difamação. Caso começou com a revelação de uma alegada tentativa de aliciamento.

O Ministério Público queria, mediante um pedido de desculpa e o pagamento de uma indemnização por parte do jogador Lionn, suspender provisoriamente o processo em que César Boaventura acusa o atleta de ter mentido quando, em tribunal, garantiu que o agente de futebolistas o tentou aliciar antes de um jogo entre o Rio Ave e o Benfica, da época 2015/16. Mas Boaventura assegura que não desiste da queixa-crime por danos morais e comerciais, difamação e depoimento falso e insiste no julgamento do atleta brasileiro.

"Apresentei queixa e não desisto dela. Quero que [Lionn] seja julgado e condenado segundo as leis que regem a constituição. Está provado que tudo não passou de um esquema para me denegrir e para pôr em causa a instituição Benfica. Não há dinheiro que pague a dignidade e não são as indemnizações que me fazem feliz", referiu, ao JN, César Boaventura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG