Guimarães

"China" condenado a nove anos e meio por roubos

"China" condenado a nove anos e meio por roubos

Sérgio Ribeiro, conhecido pela alcunha de "China", foi condenado a um cúmulo jurídico de nove anos e meio de prisão por cinco crimes de roubo qualificado e um de furto qualificado.

O coletivo de juízes do Tribunal de Guimarães condenou o arguido a quatro anos e cinco meses por cada crime de roubo e dois anos e onze meses pelo crime de furto. O cúmulo ficou nos nove anos e meio de cadeia.

Apesar do "gigante" registo criminal de "China" por roubos, furto, tráfico, motim de presos e condução perigosa o presidente do coletivo de juízes do Tribunal de Guimarães avisou que a medida das penas era uma "benesse" já que confessou parcialmente os crimes. "Quero que percebam isto para que não cometam outros crimes, porque isto não pode continuar", notou o presidente do coletivo.

O tribunal considerou que a prova foi "abundante", nomeadamente quanto ao uso de uma faca. "Não há dúvidas que é uma senhora faca, enorme, real e abundante", afirmou.

As mesmas penas foram aplicadas ao comparsa de "China", Vítor, cujo cadastro também é longo.

Ana, a mulher que os acompanhava foi absolvida. O tribunal considerou que não houve "prova suficiente" da sua participação nos roubos, e que também "não se pode falar em cumplicidade". "No vídeo [do furto a um cabeleireiro em Amares] há uma pessoa que se parece consigo que entra e sai, mas isso não é suficiente para dizer que teve uma intervenção como cúmplice", adiantou o juiz presidente.

"China, Vítor e Ana estavam acusados de roubo qualificado a um cabeleireiro em Famalicão e aos clientes que ali se encontravam e furto a um outro salão de cabeleireiros em Amares.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG