Antídoto

Cinco médicos detidos em operação da PJ contra burla milionária no SNS

Cinco médicos detidos em operação da PJ contra burla milionária no SNS

Cinco médicos foram detidos no âmbito de uma operação da Polícia Judiciária durante uma investigação que terá lesado o Sistema Nacional de Saúde em um milhão de euros.

Em comunicado, a PJ informa que foram detidos cinco médicos, um proprietário de uma farmácia e cinco outros indivíduos. Com idades compreendidas entre os 40 e 79 anos, vão ser presentes às autoridades judiciárias competentes para primeiro interrogatório e aplicação de medidas de coação tidas por adequadas.

Segundo a PJ, estará em causa a "emissão de receituário manual, utilizando as exceções existentes para a sua prescrição e que permitem a sua comparticipação em 100% pelo SNS, além de receitas desmaterializadas, de valores muito elevados e com inúmeras unidades prescritas", que terão lesado o Estado em cerca de um milhão de euros.

A operação, denominada de "Antídoto", conduzida pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC), em estreita colaboração com o Ministério da Saúde, mobiliza 110 elementos desta Polícia Judiciária, com a colaboração de vários elementos dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) e do INFARMED, estando a dar cumprimento a 30 mandados de busca e 11 mandados de detenção, lê-se no comunicado.

As diligências, acompanhadas por três procuradores do DIAP de Sintra, na presença de dois juízes do Tribunal Judicial da Comarca de Sintra, levaram a buscas em consultórios médicos, domiciliárias, estabelecimentos de saúde, não domiciliárias e cumprimento de mandados de detenção, relacionadas com factos suscetíveis de enquadrar, em abstrato, os crimes de Corrupção, Burla qualificada, Falsificação de Documento e Associação Criminosa.