GNR

Comandante do Centro de Formação da Figueira da Foz pediu exoneração do cargo

Comandante do Centro de Formação da Figueira da Foz pediu exoneração do cargo

O Coronel Rogério Copeto, que desde 18 de outubro de 2021 comandava o Centro de Formação da Figueira da Foz da GNR, pediu a exoneração do cargo, que foi aceite pelo Comandante-Geral.

Sem revelar as razões, o oficial, natural de Évora, revelou nas redes sociais que tinha apresentado o pedido de exoneração ao Tenente-General Rui Clero, Comandante-Geral da GNR, que de imediato aceitou, estando a aguardar colocação no Comando-Geral, em Lisboa.

O oficial chegou à Figueira da Foz ainda como Tenente-Coronel, depois de ocupar o cargo de 2º comandante do Comando Territorial de Évora, tendo sido depois promovido a Coronel.

PUB

Na hora da saída, Rogério Copeto começou por "agradecer" aos seus comandados "todo o empenho na missão de formar". Durante o ano letivo 2021/2022, no período em que comandou o Centro de Formação da Figueira, foram realizados "diversos cursos de formação inicial, de promoção e de especialização, onde se incluem quatro Cursos de Formação de Guardas, um Curso de Promoção a Cabo e vários outros de especialização, nomeadamente de Proteção e Socorro, de Trânsito, Fiscal, Investigação Criminal e outros, tendo o CFFF ministrado formação a cerca de dois milhares de formandos", rematou.

Também nas redes sociais, António Barreira, coordenador da APG/GNR para a região Sul, reagiu à renúncia do Coronel Rogério Copeto. "Não questionando as suas razões, quero-lhe dizer OBRIGADO, pois como Dirigente Associativo sei bem o que fez e faz em prol da formação da Escola da Guarda", expressando o desejo de ver Copeto à frente de um Comando Territorial. "Caso aconteça, que o faça no seu querido Alentejo", concluiu.

Quem é Rogério Copeto

Rogério Copeto foi aluno da Academia Militar entre outubro de 1993 e 1998. Depois de concluído o Curso de Oficiais, exerceu, até outubro de 2000, o cargo de comandante de Pelotão no Curso de Formação da Guarda, no então Agrupamento de Instrução de Portalegre.

Entre 2001 e 2010, Copeto foi comandante dos Destacamentos Territoriais de Fronteira, Estremoz e Évora. Depois de passar por outras funções, exerceu, entre 2013 e 2015, o cargo de Oficial de Relações Públicas do Comando Territorial de Évora (CTÉvora). Com a promoção à patente de Tenente-coronel, foi colocado no Comando Geral da Guarda onde assumiu o lugar de Chefe de Divisão de Ensino/Comando de Doutrina e Formação.

Cinco anos depois de ter deixado o CTÉvora, em 21 de outubro de 2020, o então Tenente-coronel Rogério Copeto regressou àquela unidade para assumir o cargo de segundo-comandante e de porta-voz do comando, funções que desempenhava antes de rumar a Lisboa.

No dia 15 de dezembro de 2015, o oficial foi condecorado, pelo então Comandante-Geral da Guarda, Tenente-General Silva Couto, com a Medalha de Prata de Serviços Distintos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG